Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Kajuru: “Por que Sandro Mabel não leva nenhum benefício aos pobres de Goiás?”

Senador critica o presidente da FIEG e diz que ele, como representante do empresariado, deveria se mirar no exemplo de Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza, e levar apoio aos setores vulneráveis da população

Da Redação

“Aprendi uma única com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB): a gente deve brigar por cima, não por baixo. Por isso recomendo que o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), não perca tempo respondendo às diatribes do ex-deputado Sandro Mabel”. A afirmação é do senador Jorge Kajuru (Cidadania), a propósito das críticas do presidente da Federação das Indústrias de Goiás FIEG Sandro Mabel cobrando do governo do Estado a aquisição de vacinas – que não estão disponíveis no mercado.

Para Kajuru, é preciso verificar se, quando fala, Sandro Mabel está se posicionando como possível candidato a deputado federal nas eleições de 2022. “Brigar com Mabel é uma luta subterrânea, trevosa.”

O senador é contundente em relação ao presidente da FIEG: “Se a empregada doméstica de Mabel morrer e ele tiver uma viagem marcada para Miami, não tenha dúvida: ele irá para os Estados Unidos. O hoje dono de uma indústria de pimenta não era querido dos funcionários da antiga empresa Mabel. Na verdade, está falando em vacinação em massa, mas, no fundo, o assunto não o preocupa de verdade. Ele só quer ganhar pontos políticos.”

O senador goiano prossegue no ataque a Mabel: “Não está nem aí se tem gente morrendo ou sendo internada. Ele só se preocupa mesmo com o Mabel Futebol Clube, ou seja, com seus milhões de reais. Por sinal, por que não lidera uma campanha, como a Luiza Trajano, para beneficiar os pobres de Goiás?”.

Prossegue Jorge Kajuru: “A diferença entre Caiado e Mabel é que o primeiro está sofrendo de verdade devido às mortes das pessoas. Já Mabel quer ganhar dividendos políticos com o sofrimento do povo. É uma diferença crucial e gostaria que os goianos pensassem a respeito. Mabel não tem empatia nenhuma com os pobres, com os que sofrem.”

Kajuru lembra que a Fieg, que é uma “entidade respeitável”, deveria reunir o PIB goiano e garantir a aquisição de pelo menos 1 milhão de vacinas para os goianos. “Luiza Trajano já disse que o movimento que lidera tentou comprar vacinas, mas ainda não conseguiu. Mabel ao menos tentou? Tudo indica que não. Caiado, sim, quer a vacinação em massa em Goiás, e está lutando para isso em tempo integral. Como não é populista e faz um governo racional, quase não divulga sua ação para obter vacinas para os goianos. Sua luta para cuidar das pessoas contaminadas é grande e, claro, Mabel não quer saber disso. Ele e sua família podem ir para o Hospital Albert Einstein e para o Hospital Sírio-Libanês — as melhores e mais caras unidades de saúde do país — mas o povão não”, comenta Kajuru.

“Não existe saúde sem economia e não existe economia sem saúde. Mas uma coisa é certa: a economia não voltará a ter saúde se a maioria dos brasileiros, criando o que os cientistas chamam de ‘imunidade de rebanho’, não for vacinada. O resto é politicazinha, picuinha. Caiado não pode perder tempo com Mabel, que já foi esquecido pelo povo e quer voltar a ser lembrado”, assinala o senador goiano.

Compartilhe este post: