Goiás

Marconi e Jayme Rincón querem o PSDB com Mendanha, filiado no partido ou não

Tucanos não têm nome para lançar ao governo do Estado e articulam para se aglutinar em torno do prefeito de Aparecida, que tem receio dos desgastes da legenda

Da Redação

O ex-governador Marconi Perillo e o ex-presidente da extinta Agetop Jayme Rincón intensificaram as articulações políticas com vistas ao lançamento de um candidato a oposição ao governador Ronaldo Caiado em 2022 – e o nome da preferência deles continua sendo o prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha.

Mesmo à distância (Marconi e Rincón moram em São Paulo), eles já concluíram que não há possibilidade de surgir um nome para representar o PSDB dentro do próprio partido. O ex-governador, apesar de plantar notinhas nas colunas políticas periodicamente admitindo a sua candidatura, vai mesmo disputar uma vaga na Somente essa eleição, que é possível, daria a Marconi um indispensável mandato para sobreviver na política e o livrar do risco de outra derrota acachapante, como aconteceu em 2018, caso viesse a disputar o pleito majoritário, seja para o governo, seja para o Senado.

Marconi e Rincón não cogitam nem remotamente apoiar a candidatura do megaempresário Jânio Darrot, que o Patriota de Jorcelino Braga anuncia que vai lançar. Reservadamente, acham que Darrot, com problemas de saúde e com a família hoje unida contra a sua continuidade na política, estará fora das eleições do ano que vem e que Braga vai oferecer o partido a Gustavo Mendanha. E guardam mágoa da “traição” de Darrot, que era presidente estadual do PSDB e saiu de repente sem dar satisfações.

Há dúvidas ainda sobre se Mendanha vai realmente renunciar aos quase três anos de mandato que terá, em abril, como governante da segunda cidade mais populosa do Estado e orçamento classificado entre os cinco maiores municípios. Mas, se abandonar a prefeitura, Mendanha pode contar com o PSDB seja como alternativa para se filiar seja para ter o apoio da legenda à sua candidatura ao governo, em uma coligação de oposição.

Só que há um complicador: o prefeito aparecidense tem receio quanto a sua proximidade com os tucanos, pelos desgastes que o partido e suas principais figuras acumularam com os seguidores escândalos de corrupção em que se viram envolvidos no governo. Isso melindra Marconi e Jayme Rincón. Mas, depois de Mendanha perder o apoio do PL e da DC, partidos que se inclinam a dar apoio à candidatura a governador do deputado federal Major Vitor Hugo, pode não haver outra saída para ambos os lados.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo