AparecidaD6

Marketing “hospitalar” de Mendanha usa ele mesmo, o pai e, agora, até Iris

O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, é um marqueteiro nato, que adota jogadas publicitárias para, vaidosamente, promover o seu nome nas redes sociais. Por duas vezes em que esteve adoentado – uma com trombose venosa no cérebro e outra quando foi acometido pela Covid-19 –, Mendanha lotou os seus perfis com fotos deitado em uma cama de hospital, de pijama, cara de sofrimento e textos melosos.

O presidente Jair Bolsonaro também é assim: não perde a chance de aproveitar as ocasiões em que necessita de atendimento médico para fazer média na internet e despertar a compaixão pública, com fotos às vezes constrangedoras – sem roupa e mostrando cicatrizes –, tudo para impressionar e despertar a piedade do eleitor.

Mendanha aproveitou até a doença e morte do pai, o ex-deputado Léo Mendanha, que foi levado pela Covid-19, para explorar o sentimento de solidariedade dos seus seguidores. Postou fotos do velho Mendanha com a aparência depauperada, internado em hospital. Depois, quando essas mesmas fotos foram usadas nas críticas dos seus adversários, reclamou que o seu pai estava sendo desrespeitado em sua privacidade – quando foi ele mesmo quem abriu a porteira. De quebra, fez uma cobertura do funeral, com direito a cenas vertiginosas de lágrimas, filmadas e fotografadas pela sua assessoria de comunicação.

Agora, o prefeito de Aparecida não perdeu a oportunidade de faturar com a notícia do AVC de Iris Rezende. Correu para o Hospital Neurológico, levando parte da sua equipe e alguém para fazer os registros fotográficos. Lá, deu declarações prognosticando a melhora de Iris, a quem ele, coincidentemente, vem aporrinhando com a sua insistência na candidatura própria do MDB a governador e ao recusar apoio à aliança com o DEM – cujo maior defensor é justamente… Iris. As postagens vieram em seguida.

Prefeitura de Aparecida tem três agências de publicidade

Enquanto o governo de Goiás, que administra o maior orçamento do Estado e administra políticas públicas para mais de 7 milhões de habitantes, conta com apenas três agências de publicidade contratadas, a Prefeitura de Aparecida – com um volume financeiro infinitamente menor e fazendo a gestão de um município com 600 mil habitantes – também conta com três agências para auxiliar na sua divulgação e marketing. E isso fora um elenco de profissionais da área, além de pequenas empresas prestadoras de serviços digitais específicos para redes sociais.

É um exagero e, como tudo depois que Mendanha assumiu, um ralo por onde são desperdiçados recursos públicos valiosos, assim como acontece com o loteamento político dos cargos da prefeitura – onde os indicados dos partidos políticos e dos vereadores foram agraciados com os maiores salários.

Trabalham para Mendanha a Agência Multiface de Propaganda (AMP) e a Agência Invento, gastando R$ 10 milhões por ano – isso mesmo: R$ 10 milhões – com a propaganda da prefeitura. A Invento não admite oficialmente, mas subdivide seu contrato com uma terceira agência, conforme é público e notório no mercado publicitário estadual.

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Aparecida