GoiásGoiás Online

Mendanha deixa o MDB e faz opção pelo marconismo

O prefeito Gustavo Mendanha (foto) encaminhou pedido de desfiliação ao MDB, após ter sua proposta de lançamento de candidatura própria a governador rejeitada por 95% dos membros do partido. Agora, Mendanha irá para a oposição e se aliará ao PSDB de Marconi Perillo e de José Eliton e de outros derrotados nas últimas eleições em Goiás.

Escancarado
Na sua opção por aproximar-se do marconismo, Gustavo Mendanha apareceu, em público, durante giro pelo Norte do Estado, com os prefeitos Carlos Alberto Leréia (Minaçu) e Valmir Pedro (Uruaçu), além de outras lideranças tucanas.

Provocação
Gustavo Mendanha mantém seu comportamento infantil na política: irá aliar-se novamente a Daniel Vilela caso o governador Ronaldo Caiado (DEM) desista da escolha do emedebista para a vaga de vice.

Memórias
Ao se desligar do MDB goiano, o prefeito de Aparecida de Goiânia “trai a memória” de seu pai, Léo Mendanha, e de Maguito Vilela, políticos que fizeram história no partido.

Seguidores
O grupo de Mendanha no MDB cabe em um fusca, diz um experiente político: Paulo Cezar Martins, Sandro Mabel, Enio Salviano e mais alguns.

Será que vão?
Tudo indica que os seis vereadores do MDB aparecidense irão recuar na intenção de apoiar a candidatura de Gustavo Mendanha ao governo de Goiás. É que podem ser punidos pela direção estadual do partido por “infidelidade partidária”.

Sem reeleição
Caso venham a ser punidos pela direção estadual, os seis vereadores do MDB aparecidense podem ficar sem legenda para disputar novo mandato em 2024.

No governo
Carlos Júnior, presidente do MDB de Goiânia, foi nomeado assessor especial na Secretaria de Administração do governo de Goiás.

No governo II
Outro emedebista que foi nomeado assessor especial na Administração foi Murilo Ulhôa, ex-presidente da CMTC e líder político em Cristianópolis.

Incerteza
Deputado federal Professor Alcides tem prazo até abril próximo para definir novo partido. Ele pretende deixar o Progressistas, devido a divergências com Alexandre Baldy.

DEM/PSL
O DEM e o PSL vão realizar, dia 6 de outubro próximo, convenções em Brasília para sacramentar a fusão, de olho nas eleições de 2022.

Presidenciáveis
O novo partido (DEM/PSL) que vai surgir tem três pré-candidatos ao Palácio do Planalto: Rodrigo Pacheco, Luiz Henrique Mandetta e José Luiz Datena.

Só para lembrar
O ativista Gustavo Gayer (DC), filho da ex-deputada Conceição Gayer, ficou em quarto lugar na disputa pela Prefeitura de Goiânia no ano passado, à frente de Elias Vaz (PSB), Talles Barreto (PSDB) e Major Araújo (PSL).

Gustavo Gayer: “Mendanha é a maior decepção da política”
O ex-candidato a prefeito de Goiânia Gustavo Gayer (DC) foi o primeiro a fazer ataques a Gustavo Mendanha, conforme mostrou o Diário de Aparecida. Gayer condena encontro do prefeito com a deputada estadual Adriana Accorsi, reprova aliança com o PSDB de Marconi Perillo e defende Jair Bolsonaro. “Mendanha é a maior decepção da política goiana”, enfatiza.

 

RESUMO

Dr. Zacharias Calil (DEM) foi eleito presidente da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que vai analisar a PEC que autoriza a produção e uso de radioisótopos para pesquisa e uso médico.

A expectativa no meio político é saber qual posicionamento vai adotar Tarcísio Francisco dos Santos, presidente do MDB de Aparecida de Goiânia, diante da saída de Gustavo Mendanha do partido.

Pergunta que não quer calar: Tarcísio Francisco vai renunciar ao comando do MDB para seguir Mendanha e permanecer no cargo de assessor especial do prefeito?

Valdir Alves Pinto, secretário-geral da executiva municipal do MDB, já avisou: não vai deixar o partido, onde tem longa militância, desde os tempos de Norberto Teixeira.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo