Terça, 20 de Abril de 2021
20 de Abril de 2021
Publicidade

Mendanha recua de projeto para 2022 e se dobra a Daniel Vilela

Prefeito é desconhecido no Estado e não tem influência dentro do MDB à altura de enfrentar o presidente estadual do partido

O prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha recuou do sonho dourado de uma candidatura a governador em 2022, representando o MDB. Depois de estimular especulações a respeito, ele se enquadrou ou foi enquadrado, procurando os meios de comunicação para assegurar que o seu candidato a governador na próxima eleição é o presidente estadual emedebista Daniel Vilela.

Mesmo antes de conquistar o 2º mandato, Gustavo Mendanha já navegava no noticiário político como possível postulante ao governo, principalmente depois que o então prefeito Iris Rezende o visitou, em outubro do ano passado, e disse publicamente que ele, Mendanha, “deveria se preparar para tomar conta do Estado”.

Era matreirice de Iris, que não mantém boas relações com Daniel Vilela, mas foi a senha para que o prefeito e seus assessores se lançassem a campo para vender a ideia da candidatura, que acabou sendo turbinada por eles depois que as urnas autorizaram a recondução a mais um mandato com 95,81% dos votos – o que seria um sinal inconteste de liderança política na Grande Goiânia.

Mas não é assim que as coisas caminham dentro do MDB goiano. O partido tem comprometimento rigoroso com o presidente estadual Daniel Vilela, herdeiro político de Maguito Vilela e não admite, sequer como hipótese, nenhuma alternativa para 2022. Está nas mãos de Danielzim a decisão sobre se candidatar, ele próprio, novamente a governador ou partir para uma composição com o governador Ronaldo Caiado, unindo-se ao DEM para disputar a vaga ao Senado. 

Gustavo Mendanha entendeu a sinalização e refluiu, mergulhando na administração de Aparecida, que está colocando desafios difíceis para o atual prefeito. A falta de vagas para as crianças da Educação Infantil no CMEIs é mais grave do que nunca. E a economia aparecidense, com a crise do novo coronavírus, perdeu o ritmo de crescimento que ostentava nos últimos anos e ameaça entrar em regressão. Nada é como antes.

Em entrevistas, Mendanha tem dito, textualmente: “O MDB sempre teve candidato. Até por isso ainda é o maior partido de Goiás, mesmo estando afastado do Palácio das Esmeraldas há mais de 20 anos. Então, defendo sim que o MDB tenha candidato a governador. E Daniel é o nome que temos”, ressalta, prometendo: “Defenderei a candidatura dele.”

Com o nome restrito a Aparecida, sem repercussão estadual, o prefeito não teve opção senão se recolher. O MDB, em última análise, pertence a Daniel Vilela e é o filho de Maguito quem decide ditatorialmente o rumo do partido. Ninguém mais tem chances.

Da Redação

Compartilhe este post: