Quarta, 21 de Abril de 2021
21 de Abril de 2021
Publicidade

“Muitos vão salvar seu negócio porque conseguiram linha de crédito”, diz empresária beneficiada pelo Governo de Goiás

Para dar suporte às atividades econômicas que foram impactadas pelas ações de enfrentamento à Covid-19, a GoiásFomento tem ampliado os valores de empréstimos oferecidos e facilitado o acesso pelo empreendedores goianos

Da Redação

Sem poder recorrer a bancos tradicionais, a empresária Maria Neves Ferreira foi uma das primeiras contempladas com a linha de crédito do Governo de Goiás que, por meio de parceira da GoiásFomento com o Sebrae Goiás, está operando o Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe). Com o aval concedido pelo Fampe, a Agência de Fomento poderá realizar até R$ 36 milhões em operações de crédito para empresários afetados pelos efeitos da Covid-19. Esta foi uma das primeiras ações do governador Ronaldo Caiado, após o surgimento da pandemia, para auxiliar os pequenos empreendedores.

Maria Neves, que trabalha com souvenires e lembranças da Chapada dos Veadeiros, financiou R$ 12,5 mil para manter a empresa durante o período de fechamento. O isolamento social é uma das medidas mais recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a disseminação da Covid-19. Ela não teve dificuldade em conseguir o empréstimo e elogiou a iniciativa. “Até então, todos os órgãos financeiros tinham fechado as portas para os pequenos negócios”, conta. Agora, com o recurso em caixa, terá carência de seis meses para fazer o pagamento, parcelado em 36 vezes. “Vou pagar despesas que estão surgindo para manter meu negócio vivo”, informou.

A concessão da linha de crédito com o aval do Fampe dá prioridade àqueles que desejam efetivar operação de até R$ 75 mil. “Nossa expectativa é que os pequenos negócios sejam beneficiados com mais de 60% do valor contemplado a partir do convênio firmado com o Sebrae”, ressalta o presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar. A taxa de juros varia de 0,85% a 1,29% ao mês. A definição se dá conforme a garantia que o tomador do crédito pode oferecer.

A linha de crédito permite fazer planos. “Estava tudo atrasado e o recurso será uma forma de colocar os débitos em dia. E quando a rotina voltar ao normal, pago as parcelas. Como há carência para o pagamento, isso vai ajudar demais, porque quando as lojas reabrirem haverá um período apertado, já que [as vendas] não vão voltar de uma hora para a outra”, prevê a empresária Renata Cristina Honorato, proprietária de três empresas voltadas para venda de roupas.

Ela pegou R$ 50 mil para duas empresas e financiou o mesmo valor para uma terceira, onde é sócia. “Esse auxílio veio em uma hora maravilhosa. Sem ele provavelmente teria que fechar uma das empresas. Acredito que muitos vão salvar seu negócio porque conseguiram a linha de crédito. Não teríamos condições de retomar, de fazer novas compras, acertar o passado, os aluguéis de três meses, se não fosse esse recurso”, sublinha.

Diversificação
O Governo de Goiás também implementou outras medidas para contribuir com os diversos segmentos econômicos. A mais recente delas é a liberação de R$ 18 milhões para empresários do transporte escolar. A linha servirá para atender dois mil empresários que trabalham com vans e ônibus para o transporte de estudantes. Estão disponíveis operações de até R$ 9 mil, divididas em três parcelas mensais de R$ 3 mil, com 12 meses de carência.

O prazo para o pagamento do financiamento é de até 48 meses no com juros de 0,8% ao mês. Também teve ampliação no limite da linha CredFomento, destinada a micro e pequenas empresas e profissionais liberais. Passou de R$ 80 mil para até R$ 125 mil. Para os microempreendedores individuais (MEI), o limite permanece em R$ 30 mil.

Facilidades
Medidas para facilitar o acesso ao crédito durante a pandemia da Covid-19 foi outra frente empreendida pela GoiásFomento. Desde maio a instituição financeira deixou de exigir a Certidão Negativa de Débitos (CND) do INSS na contratação e na renegociação de operações de crédito. Seguindo a Medida Provisória nº 958, publicada pelo governo federal, a instituição financeira está dispensando a apresentação de certidão negativa de débitos (CND) de tributos federais, estaduais e municipais, trabalhista, eleitoral e do FGTS, desde que estejam em dia com a seguridade social. Para crédito rural, será dispensada também a certidão de regularidade do ITR.

“Desde o início da pandemia, por determinação do governador Ronaldo Caiado, a GoiásFomento vem empreendendo ações para facilitar o crédito. E as linhas foram disponibilizadas com taxa de juros mais baixas que a média do mercado”, acrescenta o presidente. Rivael explica ainda que, pelo fato de a agência não visar lucro para distribuir a acionistas, sua função é voltada para promover o empreendedorismo e a manutenção dos empregos.

Para receber todos os empreendedores interessados, houve a ampliação do atendimento da agência de fomento com o credenciamento de 174 correspondentes de crédito em todo território goiano. Para encontrar a unidade mais próxima, basta acessar o site do órgão: www.goiasfomento.com

Compartilhe este post: