Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Nome próprio ao governo não vinga no MDB goiano

Apenas o deputado estadual Paulo Cezar Martins, o ex-deputado federal Sandro Mabel e o diretório municipal de Aparecida de Goiânia se manifestaram no MDB a favor da proposta de Gustavo Mendanha (foto) de candidatura própria ao governo de Goiás às eleições de 2022. Maioria esmagadora quer aliança com o DEM caiadista e Daniel Vilela na vice.

Base ampla
Governador Ronaldo Caiado (DEM) navega em céu de brigadeiro: tem apoio de 200 dos 246 prefeitos ao seu projeto de reeleição em 2022.

Começou cedo
Diferente de outros anos, o debate sobre escolha de candidatos majoritários e alianças partidárias para as eleições de 2022 começou com muita antecedência em Goiás.

Sem volta
Pelas recentes declarações de Daniel Vilela à imprensa, o ambiente é de afastamento definitivo entre ele e o prefeito Gustavo Mendanha.

Só consultas
Daniel Vilela descarta realização, pelo MDB, de prévias, pré-convenção ou convenção antecipadas para definir o futuro do partido em relação às eleições de 2022. Haverá apenas consultas aos membros da legenda.

Ambição pessoal
O dirigente emedebista critica a posição de Mendanha de colocar seu projeto pessoal acima da vontade majoritária do partido.

Sem interferência
Daniel Vilela disse que a direção nacional do MDB não vai fazer interferência no diretório estadual e, segundo ele, acatará a decisão que for tomada pela maioria, em relação às alianças para 2022.

Muitos nomes
É acirrada a disputa, na base de Ronaldo Caiado, pela única vaga ao Senado. Pelo menos seis nomes já se apresentaram de olho na candidatura majoritária para 2022.

Sem apelo
Marconi Perillo e José Eliton andam pelo interior do Estado e não conseguem motivar lideranças a ingressar no PSDB para disputa de deputado federal e estadual.

Muito longe
Tem gente que acha precipitada a iniciativa do senador Vanderlan Cardoso de antecipar a discussão das eleições de 2016 para governador do estado.

Divergência
Vilmar Rocha não fala a mesma língua no PSD quando Vanderlan Cardoso e Henrique Meirelles antecipam apoio à reeleição do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Só em dezembro
Alexandre Baldy deverá deixar o secretariado do governador de São Paulo, João Doria, apenas em dezembro. Ele quer retornar a Goiás para articular sua pré-candidatura ao Senado.

Sonho de Meirelles
Objeto de desejo de Henrique Meirelles: ser candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Baleia Rossi vai acatar decisão de Daniel Vilela
O presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, em telefonema a Daniel Vilela, assegurou que acatará a decisão que o partido vier a tomar sobre alianças às eleições de 2022, optando ou não por candidatura própria. Ele assegura autonomia aos diretórios estaduais para deliberar sobre candidaturas majoritárias e coligações partidárias. Rossi e Vilela foram deputados federais juntos e construíram lanços de amizade e respeito.

RESUMO

Gustavo Mendanha segue cometendo ilegalidade: vai a Brasília, em horário de expediente, em carro e com assessores da prefeitura de Aparecida de Goiânia, para participar de evento do MDB.

Valdir Alves Pinto, secretário-geral do MDB aparecidense, vai disputar mandato à Câmara Federal nas eleições do ano que vem. Ele tem história no partido desde os tempos de Norberto Teixeira.

Max Menezes aguarda, resignado, a decisão da Assembleia Legislativa de indicar Humberto Aidar para o TCM, o que permitirá ao aparecidense assumir cadeira no Legislativo. Isso ocorrerá somente em janeiro próximo.

Ernesto Roller secretário estadual de Governo, diz que Ronaldo Caiado terá um “exército” formado por 200 prefeitos à campanha pela reeleição em 2022. “É uma base fortíssima em todo o estado”, ressalta.

Compartilhe este post: