Aparecidadestaques

Obras de asfaltamento são relançadas nos mesmos bairros, sem a conclusão

Para vencer o marasmo que tomou conta da Prefeitura de Aparecida desde o início do seu 2º mandato, o prefeito Gustavo Mendanha abriu – ainda que em marcha lenta – frentes para a implantação de asfalto nos bairros: calcula-se que, na cidade, entre 60 e 80 setores seguem na poeira e na lama, apesar das promessas repetidas desde as campanhas de Maguito Vilela e do próprio Mendanha, quando os dois se comprometeram a pavimentar todas as ruas de Aparecida.

Em suas redes sociais, Mendanha fez barulho, como sempre, para anunciar que “as máquinas estão roncando” na Vila Oliveira, Goiânia Park Sul, Jardim Himalaia, Aeroporto Sul e Parque Ibirapuera, além do início da 2ª etapa das obras do Retiro do Bosque, Parque das Nações e Rosa dos Ventos. Em alguns desses bairros, como a Vila Oliveira, que espera o benefício há 35 anos, o asfaltamento já foi iniciado e paralisado por mais de três vezes, criando um clima de revolta e descrença entre os moradores. Apesar das “máquinas roncando”, nada aconteceu.

Isso porque, até agora, mesmo com patrolas, tratores e caminhões em operação de vez em quando (algumas vezes por conta da Costa Brava, empreiteira número um da prefeitura), nenhum metro quadrado recebeu ainda o asfalto.

Isso só piora as expectativas dos moradores. Em julho de 2020, já com a pandemia do novo coronavírus correndo solta e também no início da campanha pelo 2º mandato, Mendanha realizou uma live para comunicar o início da pavimentação na Vila Oliveira. Festivamente, ele “comemorou” a deflagração da obra e se declarou “realizado” por dar a boa notícia a quem vivia na Vila Oliveira. Quase um ano depois, o asfaltamento do setor está mais uma vez sendo relançado nas redes sociais.

No ano passado, o prefeito garantiu que, em pouco tempo, tudo estaria concluído e a Vila Oliveira, super-habitada, livre da lama e da poeira. “As máquinas e os operários já estão trabalhando nas ruas da Vila Oliveira. O setor receberá 152 mil metros quadrados (m²) de asfalto, que cobrirão todo o bairro. Serão construídos ainda 53 mil m² de calçadas, 37 mil metros lineares de meio-fio e mais 9,5 mil metros lineares de galerias para captação de águas da chuva. O investimento é de R$ 16,3 milhões, e os recursos são do antigo Ministério das Cidades (hoje Ministério do Desenvolvimento Regional) e de contrapartida da Prefeitura de Aparecida”, escreveu Mendanha no Instagram e no Facebook, em julho de 2020.

No mês passado, em abril, houve um motim na Vila Oliveira. Lideranças do bairro se manifestaram nas redes sociais, cobrando providências e postando críticas ácidas à prefeitura. “É sempre assim: chega eleição, eles enviam máquinas que rondam o bairro. Depois de eleitos, eles tiram as máquinas”, disse um deles. “Continuamos sofrendo”, acrescentou. Outra moradora desabafou: “Não aguento mais. Meu sonho é me mudar de Aparecida.”

Nas carreatas pelos bairros, na campanha de 2020, Mendanha usava um alto-falante para repetir a promessa de que asfaltaria todos os bairros, a mesma que ele fez ao disputar seu 1º mandato, em 2016. “Vou asfaltar todos os bairros do município. Nosso objetivo é levar o asfalto para todos, gerando qualidade de vida para os aparecidenses e, consequentemente, levando Aparecida para um novo patamar de desenvolvimento”, propagandeava. Por enquanto, está longe de cumprir.

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Aparecida