Quinta, 06 de Maio de 2021
06 de Maio de 2021
Publicidade

Outubro Rosa: cerca de 30% dos casos de câncer de mama poderiam ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis

Da Redação

Você sabia que hábitos simples como praticar atividade física regular, alimentar-se de forma saudável, evitar consumo de bebidas alcoólicas, amamentar e evitar uso de hormônios sintéticos poderiam evitar em até 30% os casos de câncer de mama? Este dado é do Instituto Nacional de Câncer (INCA), do Ministério da Saúde, que afirma que a previsão para 2020 é que sejam diagnosticados cerca de 66.280 novos casos da doença.

No mês do Outubro Rosa, campanha responsável por conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama, a médica ginecologista e obstetra do Sistema Hapvida, Poliana Cordeiro Amaral, explica que essa conscientização ajuda a diminuir as taxas de mortalidade por essa doença. “O câncer de mama pode ser o que chamamos de “ambiental”, ou seja, que não é geneticamente determinado. A principal forma de prevenir é mudando os hábitos que são fatores de risco para o câncer de mama”.

A especialista do Sistema Hapvida alerta ainda que é importante prestar atenção aos fatores de risco não modificáveis como a idade (maior que 50 anos), história familiar de câncer de mama, início precoce da menstruação, menopausa tardia, não ter filhos ou tê-los após os 30 anos. “Esse tipo de câncer tem o fator familiar como fator de risco, ou seja, pessoas que tiveram mães, irmãs ou filhas com câncer de mama, tem mais risco de desenvolver a doença. Porém, o câncer hereditário corresponde a cerca de 5 a 10% de todos os casos de câncer de mama. Tão importante quanto a prevenção, é o diagnóstico precoce, que permite que a mulher vença a doença e diminui suas taxas de mortalidade”, alerta.

O diagnóstico deste tipo de câncer é realizado geralmente através de mamografia, que é a radiografia das mamas feita por aparelho de Raios-X (mamógrafo). O exame é capaz de mostrar alterações suspeitas antes mesmo de o tumor ser palpável. Entretanto, a confirmação do câncer de mama só é feita pelo exame histopatológico (análise no laboratório de uma pequena parte retirada da lesão por meio de biópsia).

Após o diagnóstico, o tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Importante lembrar que o câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com taxas de sucesso satisfatórias. Poliana explica que tumores no estágio 1, com menos de 1 cm de tamanho, chegam a 95% de cura.

 

 

Compartilhe este post: