Quinta, 17 de Junho de 2021
17 de Junho de 2021
Publicidade

Parceria entre Governo de Goiás e setor cultural resulta em editais mais democráticos da Lei Aldir Blanc

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), promoveu, ao longo dos últimos meses, encontros virtuais com representantes de diversos segmentos do setor cultural goiano, para preparar os novos editais da Lei Aldir Blanc. A pasta também realizou uma consulta pública on-line com a população. Foram 169 sugestões, das quais 95% foram acatadas. As reuniões resultaram em editais simplificados, inclusivos, acessíveis e que contemplam as especificidades de diversas áreas.
Os novos 20 editais da Lei Aldir Blanc, que totalizam cerca de R$ 50 milhões de reais, vão contemplar as áreas de artes visuais, artesanato, audiovisual, arte feminina, pontos de cultura, circo, cultura popular, cultura kalunga e quilombola, crianças e adolescentes, dança, fomento a bibliotecas comunitárias e museus, festivais, direitos humanos, hip hop, letras, teatro e música. Projetos focados nas tradições, no saber goiano e também na trajetória da cultura do nosso povo também estão inclusos. Representantes de todos esses segmentos participaram das rotinas produtivas de formatação dos editais.
Para João Bosco Amaral, integrante da Cia Oops de teatro, a participação da classe artística na construção dos novos editais foi fundamental. “Justamente porque somos nós artistas, produtores culturais que estamos na construção do trabalho e sabemos das necessidades do setor e, principalmente, temos o contato direto com a população que vai receber essas atividades culturais. Portanto, foi muito bom que a Secult e o Governo de Goiás tenham proporcionado de maneira democrática a inclusão dos artistas na construção desses novos editais”, afirma.
Esta também é a opinião de Ademir Luiz, presidente da União Brasileira dos Escritores – Seção Goiás. “É fundamental  que as entidades culturais e a comunidade artística somem forças com o Governo para avançar na área da cultura, e sinto que essa sintonia está cada vez mais forte e presente”, acentua.
A presidente do Conselho Municipal de Cultura, Rhainy Aghata, destaca a efetividade das reuniões entre as equipes técnicas da Secretaria de Cultura e setores culturais goianos. “As reuniões com a Secult foram importantes, um momento de escuta ativa, um momento em que pudemos escutar as sugestões e reclamações e tirar algumas dúvidas sobre os novos editais da Lei Aldir Blanc. Essas proposituras foram fundamentais para a construção dos novos chamamentos, principalmente nesse momento de emergência cultural”, afirma.
Os interessados devem acessar o site da Secretaria de Cultura (www.cultura.go.gov.br), e também as redes sociais da pasta, para acompanhar todas as atualizações referentes ao lançamento dos novos editais. A abertura das inscrições acontece no dia 15 de junho.
Luana Otto, produtora cinematográfica, espera que os novos editais contemplem o maior número possível de projetos. “Os novos editais remanescentes da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural são uma vitória da luta política da classe artística em geral, por um direito pré conquistado.  Agora esperamos que seja contemplado o maior número possível de projetos, com recursos melhor distribuídos, com linhas de ação mais abrangentes e democráticas”, declara.
Bariani Ortêncio, folclorista e baluarte da cultura popular brasileira, afirma que essa ajuda da Lei Aldir Blanc é muito importante. “Porque a gente precisa desse apoio para fortificar a nossa cultura. Eu, como grande defensor da cultura popular, considero primordial e necessário esse reforço para valorizar e preservar as nossas tradições e raízes, que são riquíssimas”, destaca.
Os três editais da Lei Aldir Blanc lançados pela Secult/Goiás no ano passado, beneficiaram mais de 1.530 projetos em todo o Estado. A maioria deles já está em execução e abrange diversas áreas como música, audiovisual, culinária, artes plásticas e outras. Agora, com os novos editais, a Secretaria aprovará 2.500 projetos, e a estimativa é que haja mais de 10 mil proponentes inscritos.
A Lei Aldir Blanc
A Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural surgiu com o objetivo de auxiliar trabalhadoras e trabalhadores da Cultura, bem como os espaços culturais brasileiros, no período de isolamento social, ocasionado pela pandemia de Covid-19.

Compartilhe este post: