Sábado, 08 de Maio de 2021
08 de Maio de 2021
Publicidade

Piora a qualidade do ar em Goiás

A tendência é que a situação permaneça até quarta-feira, dia 23

A qualidade do ar nesta segunda-feira, dia 21, indica uma piora da situação em Goiás, podendo atingir até uma classificação péssima no Sudoeste goiano. A piora ocorre em decorrência, principalmente, do transporte da fumaça provenientedas queimadas que ocorrem no Centro-Oeste e Norte do País.

A tendência é que essa situação permaneça até quarta-feira, dia 23. A previsão é da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) por meio do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo).

Previsão de chuva

Terça-feira, dia 22, será  de  sol  e  nebulosidade  variável com possibilidade  de formação  de  áreas  de instabilidade em  várias  regiões  do Estado,  com pancadas  de  chuvas isoladas que podem vir acompanhadas de rajadas de vento e raios.

Medidas de prevenção com a degradação da qualidade do ar

Centro: ruim a muito ruim
Pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares, idosos  e  crianças  devem  evitar  esforço  físico pesado ao ar livre; o restante da população deve reduzir o esforço físico pesado ao ar livre

Norte: moderada a ruim
Reduzir  o  esforço  físico  pesado  ao  ar  livre, principalmente  pessoas  com  doenças  cardíacas ou pulmonares, idosos e crianças.

Oeste: ruim a muito ruim
Pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares, idosos  e  crianças  devem  evitar  esforço  físico pesado ao ar livre; o restante da população deve reduzir o esforço físico pesado ao ar livre

Sudoeste: muito ruim a péssima
Pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares, idosos e crianças devem evitar qualquer esforço físico ao ar livre; o restante da população deve evitar o esforço físico pesado ao ar livre.

Sul: moderada a ruim
Reduzir  o  esforço  físico  pesado  ao  ar  livre, principalmente  pessoas  com  doenças  cardíacas ou pulmonares, idosos e crianças.

Leste: moderada a ruim
Reduzir  o  esforço  físico  pesado  ao  ar  livre, principalmente  pessoas  com  doenças  cardíacas ou pulmonares, idosos e crianças.

Potenciais efeitos adversos à saúde humana

Centro: ruim a muito ruim
Toda a população pode apresentar agravamento dos sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos,  nariz  e  garganta  e  ainda  falta  de  ar  e respiração ofegante. Efeitos ainda mais graves à saúde  de  grupos  sensíveis  (crianças,  idosos  e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas).

Norte: moderada a ruim
Toda a população pode apresentar sintomas como tosse  seca,  cansaço,  ardor  nos  olhos,  nariz  e garganta. Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos  e  pessoas  com  doenças  respiratórias  e cardíacas) podem apresentar efeitos mais sérios na saúde.

Oeste: ruim a muito ruim
Toda a população pode apresentar agravamento dos sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos,  nariz  e  garganta  e  ainda  falta  de  ar  e respiração ofegante. Efeitos ainda mais graves à saúde  de  grupos  sensíveis  (crianças,  idosos  e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas)

Sudoeste: muito ruim a péssima
Toda a população pode apresentar sérios riscos de manifestações  de  doenças  respiratórias  e cardiovasculares. Aumento de mortes prematuras em pessoas de grupos sensíveis.

Sul: moderada a ruim
Toda a população pode apresentar sintomas como tosse  seca,  cansaço,  ardor  nos  olhos,  nariz  e garganta. Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos  e  pessoas  com  doenças  respiratórias  e cardíacas) podem apresentar efeitos mais sérios na saúde.

Leste: moderada a ruim
Toda a população pode apresentar sintomas como tosse  seca,  cansaço,  ardor  nos  olhos,  nariz  e garganta. Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos  e  pessoas  com  doenças  respiratórias  e cardíacas) podem apresentar efeitos mais sérios na saúde.

Compartilhe este post: