Sexta, 07 de Maio de 2021
07 de Maio de 2021
Publicidade

Polícia Civil de Goiás prende um dos maiores suspeitos de roubo e receptação de cargas do país

A Polícia Civil de Goiás cumpriu mandado de prisão preventiva contra um homem, de 45 anos, considerado um dos maiores suspeitos de roubos e receptação de cargas do país. A prisão foi realizada com o apoio da Polícia Civil de Minas Gerais e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O indivíduo foi detido após um ano e meio de investigação, em um desdobramento da Operação Xeque-Mate. O mandado foi cumprido na casa onde ele morava, no setor Negrão de Lima, em Goiânia.

Segundo a apuração, o homem seria um dos mentores de uma organização criminosa, especializada em roubos e na comercialização de cargas de plumas de algodão, defensivos agrícolas e bebidas. “Eles abordavam os motoristas nas rodovias, com arma de fogo de grosso calibre. Em seguida aprendiam as mercadorias e as repassavam para os comerciantes locais”, informou o delegado Diogo Luiz Barreira Gomes, da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar).

O grupo agia em Goiás, Minas Gerais e São Paulo, e teria causado prejuízo estimado em R$ 15 milhões às empresas vítimas. Desde o início das investigações, 11 membros da quadrilha foram presos. O suspeito detido na nova etapa da ação tinha um mandado de prisão em aberto e estava foragido. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito preso na nova etapa da ação conseguiu acumular grande patrimônio com os crimes praticados.

“Ele estava foragido da justiça. Mudava de cidade e de estado a todo o momento, o que dificultou bastante sua prisão. Isso se utilizando de todo o patrimônio que eles conseguiram juntar com esses roubos de carga. Inclusive, depois que a quadrilha foi desbaratada, esse dinheiro foi usado justamente para fugir, para ficar mudando de cidade em cidade e não ser preso”, destacou.

Durante a investigação, todos os bens do indivíduo foram identificados e confiscados judicialmente. Ele deverá responder no inquérito policial pelos crimes de furto, receptação e organização criminosa. A apuração seguirá, no intuito de identificar e prender outras pessoas, que agiam como receptadoras das cargas roubadas. “A operação continua justamente para encontrar esses outros alvos, que são os receptadores, empresários e comerciantes da região aqui de Goiânia, Minas e São Paulo”, completou o delegado.

Integração

O Superintendente Executivo da Polícia Rodoviária Federal em Goiás, Luiz Fernando, destacou a importância da atuação integrada entre as forças de segurança, estaduais e nacionais, que tem conseguido desmantelar grandes grupos criminosos. “Hoje além de agirmos abrindo ocorrência de formiguinha, todo dia, batendo na logística financeira das organizações criminosas, conseguimos agir também nas lideranças. A estratégia é essa: bater no financeiro e também nos líderes. E hoje, com a prisão desse indivíduo, a gente consegue quebrar essa cadeia de articulação”, ressaltou.

Compartilhe este post: