Goiás

Polícia Civil prende autores de série de crimes contra instituições financeiras

Parte do grupo criminoso foi preso em flagrante à época dos fatos, sendo apreendidos veículos, munições e a quantia aproximada de R$ 56 mil em espécie

A Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), por intermédio do Grupo Antirroubo a Bancos (GAB), prendeu em flagrante Rafael Bernardo Santana da Silva, de 24 anos, e Marciano Sousa Barbosa, de 22, pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e uso de documento falso. Após denúncia anônima de que um indivíduo chamado “Rafael”, conhecido por envolvimento em furto a bancos, estaria vindo de ônibus para a capital goiana, os agentes policiais das equipes do GAB e Deic se deslocaram até a rodoviária da cidade, onde constataram a presença do denunciado, Rafael Bernardo Santana da Silva, e seu comparsa, Marciano Sousa Barbosa.

Ao Diário de Aparecida, o delegado da Deic, Fabrício Flávio, titular do Grupo Antirroubo a Banco (GAB), esclareceu que no momento em que os policiais realizaram a abordagem, ambos apresentaram documentos falsos, oriundos do Estado do Mato Grosso. “Em conversa informal, os dois suspeitos admitiram que traziam em suas bagagens duas armas de fogo, tipo revólver, devidamente municiadas, além de objetos roubados no município de Ourilândia do Norte, do Estado Pará. Feito contato com a Polícia Civil do Pará, foi possível identificar a ocorrência relacionada. Na oportunidade, os autores renderam duas pessoas em sua residência, situada no município de Ourilândia, naquele Estado, com emprego das armas de fogo supracitadas, e exigiram a entrega de pedras de ouro”, explicou.

Ainda de acordo com o delegado, a Polícia Civil representou pela conversão da prisão em flagrante em preventiva, o que foi acatado pelo Poder Judiciário goiano. Todas as peças de informação referentes ao crime de roubo no município de Ourilândia do Norte-PA serão encaminhadas à Delegacia Distrital Paraense, a fim de instruir o inquérito policial lá instaurado.

 

Ficha criminal

Segundo informações policiais, em Crixás, no Estado de Goiás, no ano de 2018, o autuado Rafael Bernardo Santana da Silva já era investigado pelo Grupo Antirroubo a Bancos da Polícia Civil, existindo contra ele mandado de prisão preventiva expedido pelo juízo da cidade, deferido após representação da Polícia Civil de Goiás.

“As informações do inquérito policial comprovaram a participação de Rafael Bernardo no furto ocorrido no dia 4 de março de 2018, na Agência do Banco do Brasil, no município de Crixás, onde foi realizado o arrombamento do cofre e subtraída elevada quantia da instituição financeira. Além do pedido de prisão preventiva, também foi representada pela busca e apreensão nos endereços de Rafael Bernardo, situados em Cuiabá, cidade do Mato Grosso, onde, com apoio da Polícia Civil do Estado, foram apreendidos celulares e um veículo”, declarou o delegado.

Após as diligências policiais, parte do grupo foi preso no dia 25 do mesmo mês, quando realizavam nova ação contra uma Agência do Banco do Brasil no município de Carmo do Rio Verde-GO. Em seu interrogatório, Rafael confessou a participação no crime supracitado.

“Depois de ter cometido todos esses crimes, Rafael também confessou a participação no crime de furto no Banco do Brasil, ocorrido no dia 28 de março de 2021, em Águas Lindas de Goiás. Sendo responsável por auxiliar no transporte dos materiais empregados para arrombar o cofre e realizar a vigilância da parte externa da agência. Parte do grupo criminoso foi preso em flagrante à época dos fatos, sendo apreendidos veículos, munições e a quantia aproximada de R$ 56 mil em espécie”, finalizou Fabrício Flávio. (Edna Barbosa / jornalismo@diariodeaparecida.com)

 

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Goiás