Quarta, 21 de Abril de 2021
21 de Abril de 2021
Publicidade

Polícias Civil e penal prendem suspeitos de homicídio em ação conjunta

Ação mostra que nova filosofia de integração implantada pela atual gestão intensifica o combate aos crimes contra a vida. O conceito é novo, no sentido de que as forças de segurança acompanham todo o movimento da criminalidade. Agora todos os fatos são formalizados, investigados e as providências são adotadas de imediato

As Polícias Civil e Penal, em operação conjunta, realizaram a prisão em flagrante de dois indivíduos suspeitos do homicídio de Gabriel Peixoto Fernandes. O assassinato aconteceu na última segunda feira (4/01), no Setor Jardim América, em Goiânia. Os criminosos atiraram 10 vezes contra a vítima. A investigação aponta que três homens participaram do crime e que o provável motivo seja dívidas envolvendo o tráfico de drogas.

Por meio da apuração, a Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) identificou que os indivíduos faziam parte de uma facção criminosa. Um deles, apontado como líder do grupo, estava preso na Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia, de onde ordenou a execução. “No dia do crime, eles saíram em uma motocicleta, ligaram para a vítima e combinaram de encontrá-la no local dos fatos. Assim que a visualizaram, um deles efetuou os disparos contra a vítima, que foi atingida e veio a óbito no local”, explicou o delegado Francisco José, responsável pela investigação.

Poucas horas após o crime, a Polícia Civil já tinha identificado os suspeitos. Um deles foi encontrado pela Polícia Militar na casa onde morava. No local houve troca de tiros. O indivíduo foi atingido e não resistiu. O outro suspeito foi localizado e detido na última terça-feira (5/01), na residência de um amigo, onde estava escondido. Ele passou por audiência de custódia e teve a prisão convertida em preventiva. Após a detenção, os policiais conseguiram chegar ao terceiro suspeito do homicídio, que está preso por outros crimes.

“Através da prisão e análise do material apreendido, com o apoio da inteligência da Polícia Penal, a gente conseguiu identificar o mandante”, informou o delegado. Após a finalização do inquérito policial, o detento do sistema prisional goiano será transferido para a penitenciária de segurança máxima, em Planaltina de Goiás. O custodiado e o outro suspeito deverão responder por homicídio qualificado, com pena que pode chegar a 30 anos de reclusão.

Integração

A operação integrada entre a Polícia Civil e a Polícia Penal faz parte da nova filosofia de integração implementada no combate aos crimes contra a vida, em Goiás, como apontou o secretário de Segurança Pública do Estado, Rodney Miranda. “Na gestão do governador Ronaldo Caiado um novo paradigma foi implantado e essa integração é definitiva. O sistema prisional do estado não é lugar para líder criminoso, para negócio. É lugar para cumprimento de pena. Então não vamos admitir esse tipo de situação em Goiás”, pontuou.

“É um trabalho muito importante e ele convalida esse processo de integração entre as forças policiais. Ele traz pra nós um conceito novo, no sentido de que as forças de segurança estão acompanhando todo o movimento da criminalidade e ao contrário do havia em tempos pretéritos, agora todos os fatos são formalizados, investigados e as providências do Estado adotadas de imediato. Então essa é uma parceria que, com certeza, vai produzir muitos frutos para o estado”, complementou o diretor geral da Polícia Penal, Coronel Agnaldo Augusto.

O titular da SSP-GO ainda fez questão de elogiar o trabalho que vem sendo desempenhado pelas forças policiais, que contribuem diariamente para a queda dos indicadores criminais. “Trabalho excepcional, que tanto a Polícia Civil quanto a Polícia Penal tem feito. Se não fosse esse trabalho conjunto, a gente não alcançaria os índices de redução que estamos conseguindo. Nós não temos a mínima complacência com quem comete crime, dentro ou a partir dos presídios do estado de Goiás”, ressaltou.

Para a delegada geral adjunta da Polícia Civil, Letícia Franco, a ação conjunta deverá servir de exemplo para todo o país. “Essa atuação de parceria se reforça através desse novo projeto e que é um novo paradigma tanto para a atuação de segurança pública no estado de Goiás, como também para o país”, afirmou.

Fonte: SSP-GO

Compartilhe este post: