Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Queiroga diz que campanha de vacinação é ‘sucesso’ e que reclamação por falta de doses é ‘narrativa’

Na semana passada, cidades de cinco Estados não tinham vacina AstraZeneca para aplicação da segunda dose

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ontem, 13, que a campanha de vacinação contra a Covid-19 no Brasil já é “um sucesso”. O ministro disse ainda que a reclamação de que falta vacina para aplicação da segunda dose é uma “narrativa”. No contexto político atual, a palavra “narrativa” é usada de forma pejorativa para apontar uma versão dos fatos que não corresponde à realidade.

Queiroga afirmou que os Estados não respeitaram as orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e aceleraram, por exemplo, a antecipação dos intervalos entre doses e a vacinação dos adolescentes. “Eu também falei que quem adotasse esquemas diferentes do PNI não teria garantias de doses”, disse Queiroga.

“Por conta disso [desrespeito ao PNI] que surgem essas narrativas de que faltam dose. Na realidade, muitos já avançaram além [dos públicos previstos], e se avançaram é porque tinha doses”, afirmou Queiroga em Brasília.

 

‘Reclamadores crônicos’

Queiroga afirmou que há “reclamadores crônicos” no País e usou sua recente visita ao Amazonas para criticar diretamente o Estado de São Paulo.

“Por que em uma comunidade ribeirinha tem vacina e no principal Estado do País não tem? É porque lá no Amazonas estão seguindo as orientações do Programa Nacional de Imunização. Você pode ver: quem reclama? Quem são os reclamadores crônicos? E aí você verifica as publicidades que fizeram. Não foi o Ministério da Saúde que fez a publicidade [do avanço na vacinação]”, disse Queiroga.

 

Falta de doses nos Estados

Na última sexta-feira, 10, levantamento do consórcio dos veículos de comunicação apontou que a aplicação da segunda dose da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19 tinha sido suspensa em diversas cidades no Brasil devido à falta do imunizante. Havia vacinação suspensa em postos de cinco Estados brasileiros: São Paulo, Rio Grande do Norte, Tocantins, Rondônia e Mato Grosso do Sul.

Na cidade de São Paulo, o desabastecimento já chegava a quase 100% dos locais autorizados para a aplicação. A capital paulista iniciou ontem, 13, a aplicação do imunizante da Pfizer para quem tomou a primeira dose da AstraZeneca. A vacinação no Espírito Santo, em Minas Gerais e em Santa Catarina pode ser interrompida na próxima semana, caso não haja novas remessas da AstraZeneca. (Por Pedro Peduzzi / Repórter da Agência Brasil)

Compartilhe este post: