Quinta, 05 de Agosto de 2021
05 de Agosto de 2021
Publicidade

Redução de passageiros chega a 53% em horário de maior demanda no transporte coletivo da Região Metropolitana

Na faixa de maior fluxo, a das 6 horas, número de embarques cai de 26.939 mil para 12.657, no comparativo de terça-feira da semana passada para ontem

Da Redação

No primeiro dia de implantação da medida sanitária de restrição no transporte coletivo, que prevê o embarque prioritário nos horários de pico apenas aos trabalhadores de serviços essenciais, houve uma diminuição de 40,6% no fluxo de passageiros na Região Metropolitana de Goiânia durante os 90 minutos de bloqueio desta manhã, em comparação a terça-feira da semana passada. Na faixa de maior fluxo, a das 6 horas, a redução atingiu 53%, comparando as 12.657 pessoas que embarcaram nesta terça-feira, 23, com as 26.939 mil que utilizaram o serviço no mesmo horário da última terça-feira, 16.

A restrição do embarque nos horários de pico da manhã e da tarde foi definida pelo governador com apoio dos prefeitos dos municípios da Região Metropolitana, Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), empresas e Ministério Público, em uma articulação feita pela Secretaria-Geral da Governadoria (SGG).

O bloqueio eletrônico dos cartões de embarque, liberando apenas os trabalhadores de atividades essenciais cadastrados, ocorre das 5h45 às 7h15 e das 16h45 às 18h15. A medida vale até a próxima terça-feira (30/03), quando se encerra o período de restrição das atividades econômicas estipulado no decreto estadual. 

Até por volta das 8h30, haviam sido feitos 70.356 cadastros, sendo 2 mil apenas hoje. Desse total, 41.364 usuários anexaram os documentos solicitados e 28.992 apresentaram justificativa. Em Goiânia, de acordo com dados do Consórcio RedeMob, a redução da demanda no intervalo de 90 minutos referente ao pico da manhã foi de 39,5%. Em Aparecida de Goiânia, 38,8%. 

Para o secretário-geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima, o resultado deste início de operação mostra que a tecnologia pode ser uma grande aliada como ferramenta de apoio às políticas públicas. “Como já era esperado, tivemos pessoas que não tiveram seu cadastro reconhecido, mas representou menos de 0,5%. Apesar de alguns problemas de pessoas que não fizeram cadastro tentando invadir plataformas de embarque ou pular as catracas, foi uma operação de altíssimo sucesso”, avaliou.

Adriano afirma que a ação não impede as pessoas de andarem de ônibus, mas busca acabar com a concentração de passageiros em determinados horários, redistribuindo o fluxo. Também é uma forma de regulamentar o que está previsto no decreto estadual, que prioriza os trabalhadores de serviços essenciais nos horários do transporte coletivo para evitar aglomerações nos terminais e veículos. 

“A medida dá mais conforto para o passageiro, pois a maior parte conseguiu ir sentada dentro do ônibus e, principalmente, serve para evitar a transmissão do vírus, que no momento está bastante crítica no Estado”, esclarece Adriano.

O cadastro de trabalhadores de serviços essenciais ou de pessoas em atividades essenciais (como situações de urgência e emergência) pode ser feito a qualquer momento pelo site www.rmtcgoiania.com.br/embarqueprioritario. Nos casos de problemas, o usuário deve entrar em contato com o 0800 648 2222, número da RMTC disponível para esclarecer dúvidas.

Foto: Divulgação / RedeMob

Compartilhe este post: