Quinta, 06 de Maio de 2021
06 de Maio de 2021
Publicidade

Renda Família facilita correção de erros cadastrais por meio de um simples e-mail

Erros na data de nascimento, grafia do nome e número do CPF estão entre as informações que podem ser corrigidas. Medida objetiva reduzir necessidade de deslocamentos presenciais em meio à pandemia do Coronavírus

Cidadãos que se depararam com divergências cadastrais no processo de solicitação do Renda Família podem solicitar por e-mail a atualização do Cadastro Imobiliário. A Prefeitura de Goiânia realizará uma força tarefa para corrigir as informações e garantir que cada vez mais cidadãos consigam pleitear a participação no primeiro programa de transferência de renda da história de Goiânia. A medida evita reduzir a necessidade de deslocamento às unidades Atende Fácil, central de relacionamento com o município, em um momento de curva ascendente da pandemia provocada pelo Coronavírus (Covid-19).

Incompatibilidade de data de nascimento, erro no número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e divergência na grafia dos nomes são exemplos de problemas que podem ser corrigidos por meio do correio eletrônico. Para pedir adequação dos dados, basta enviar um e-mail para o endereço gercadigyn@gmail.com. No campo “Assunto”, é necessário escrever o nome do programa, Renda Família. E-mails com essa identificação terão o atendimento priorizado.

Além de descrever a dificuldade enfrentada no processo de cadastramento, é necessário informar no e-mail os números da inscrição cadastral, informação disponível no boleto do IPTU; do Registro Geral (RG) e CPF do proprietário, além da Certidão de Matrícula atualizada. Quando se tratar de imóveis alugados, é importante também anexar o contrato de aluguel ou a cessão de uso; o RG e CPF do locatário ou cessionário. Com base nessas informações, os dados serão atualizados pela Diretoria de Cadastro da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin). As dificuldades decorrentes de divergências cadastrais estão entre os problemas mais comum narrados pelos cidadãos, por meio das mídias sociais oficiais do município, no ato da solicitação do benefício. A questão inclusive suscitou a realização de uma live, ocorrida na última quarta-feira, 24, para sanar dúvidas dos cidadãos. Outras podem ser realizadas se as dificuldades permanecerem.

“Estamos tendo muitos pedidos faltando informações. Nós estamos com mais de quatro mil pedidos, mas o que a gente consegue de fato analisar, porque as informações chegaram completas, é um pouco mais de dois mil. Nós estamos com um índice de mais ou menos 50% de pedidos feitos com qualidade de análise. Os outros não chegam com as informações completas. A população precisa ter alguns cuidados, como incluir o CPF de toda a família e não de apenas um membro, anexar contrato de aluguel ou um declaração, mesmo de próprio punho, que ateste essa situação. As pessoas precisam prestar as informações corretas para que a gente possa conceder o benefício. Quanto melhor a informação, quanto mais informações essa pessoa colocar, a chance de nós liberarmos o cadastro e emitir o cartão o mais rápido possível, é maior”, explica o secretário de Finanças de Goiânia, Alessandro Melo. Até o fim da manhã desta quinta-feira, dia 25, 4.732 cidadãos já haviam solicitado à prefeitura, nem todos de forma completa, a participação no Renda Família. A meta é alcançar entre 24 mil e 30 mil famílias.

Para solicitar o benefício é necessário ser maior de 18 anos; residir em imóvel próprio, alugado ou cedido com Valor Venal de até R$ 100 mil e a família não ter fonte de renda, a exemplo de carteira assinada, aposentadoria ou pensão. A exceção é o programa Bolsa Família. A participação também é restrita aos que têm apenas um imóvel, não são Microempreendedores Individuais (MEIs) e não têm Cadastro de Atividade Econômica (CAE) ativo. O objetivo do programa é amparar famílias que estão em situação de maior vulnerabilidade temporária em decorrência da pandemia do Coronavírus.

As inscrições para o Renda Família, abertas até 31 de março, podem ser feitas por meio do site da Prefeitura de Goiânia, o www.goiania.go.gov.br. Basta preencher o formulário, apresentar a documentação requerida, concordar com o Termo de Aceite e aguardar análise da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin). A tramitação do processo pode ser acompanhada também pela internet, por meio do login e senha criados no ato da solicitação. A meta da prefeitura é entregar os primeiros cartões já na primeira quinzena do mês de março.

Renda Família

Lançado na última segunda-feira, 22, o programa prevê a concessão de benefício mensal de R$ 300, por um período de seis meses, aos cidadãos que não têm fonte de renda capaz de sustentar as necessidades do núcleo familiar que integra. O valor será disponibilizado por meio de um cartão que só poderá ser utilizado em estabelecimentos comerciais de Goiânia para aquisição de alimentos. São proibidas as compras de bebidas alcoólicas e cigarros, por exemplo. Não há possibilidade de saque do valor, que para os contemplados será creditado mensalmente, a cada 30 dias, tendo como referência a data do primeiro depósito.

O Renda Família é o segundo compromisso de campanha materializado pelo prefeito Rogério Cruz. O primeiro foi o IPTU Social, vigente desde o dia 21 de janeiro. Ambos foram temas dos programas eleitorais do ex-prefeito Maguito Vilela e idealizados pelo próprio.

Da Redação

Foto: Divulgação

Compartilhe este post: