Terça, 20 de Abril de 2021
20 de Abril de 2021
Publicidade

“Respeito Daniel Vilela, mas ele precisa entender que ele não foi eleito, foi o pai”, declara Rogério Cruz

Prefeito de Goiânia responde aos emedebistas afastados da sua gestão e diz que não poderia aceitar que “outros ditassem as regras”

Da Redação

Em suma solenidade no Paço Municipal, na última segunda-feira, 5, na presença dos vereadores do MDB que decidiram permanecer apoiando a sua administração e não acompanhar a orientação do presidente estadual do partido Daniel Vilela, o prefeito Rogério Cruz mandou recados e pela primeira vez deu a sua versão sobre os fatos apontados pelos secretários emedebistas afastados da sua equipe de auxiliares. Veja os principais trechos do discurso.

Plano de Governo

 Quem foi pra disputa de votos pelo MDB ficou do nosso lado, são vereadores eleitos e os suplentes do MDB. Aceitei o convite para ser vice na chapa de Maguito porque sabia da conduta e política que ele tinha. Enfrentamos juntos a Covid, testamos positivo na mesma época, infelizmente nosso líder foi recolhido por Deus, eu tenho um compromisso com a população de Goiânia, nós vamos cumprir o plano de governo independente das pessoas que vão nos auxiliar, já estamos como o IPTU Social, o Renda Família e desenvolvendo o projeto das 15 mil moradias populares.”

CPF em jogo

“Eu quero ressaltar que o plano de governo não é apenas do MDB, é de toda a coligação que fez parte da aliança vitoriosa e do povo goianiense. Nunca fugi das minhas responsabilidades, por isso assumi esse desafio colocando meu CPF em jogo. Determinei ao meu secretário de governo, que editasse um decreto de governança para dar mais transparência ao uso do dinheiro público, ao contrário do que disse Daniel, não é o secretário de governo que decide as prioridades da gestão, sou eu, talvez seja isso que incomodou algumas pessoas.”

Investigações continuarão

“Não permitirei ilhas no meu governo, o governo é único. Onde ficarem dúvidas e suspeitas, nós vamos investigar, no meu governo não aceito corrupção, não posso ignorar uma suspeita levantada por quase metade da câmara de vereadores, sobre um contrato de asfalto. A função dos vereadores é fiscalizar e eu fui vereador por 8 anos, respeito e louvo essa prerrogativa, vamos diminuir os gastos com a máquina pública e aumentar os investimentos de maneira responsável, estamos estudando uma reforma administrativa de adequação à nova realidade do mundo pós pandemia, para chegar ao fim do mandato com todo o plano de governo executado.”

Picuinhas políticas

“Enfim, vamos cumprir o plano de governo e o líder desse processo sou eu, não fugirei das minhas responsabilidades, estou sempre aberto ao diálogo, estou aberto a todos os líderes da cidade que me procurarem. São legítimas as mudanças implementadas por mim, afinal, eu sou o responsável, neste momento estou mais preocupado em cuidar de Goiânia, vacinar nossa população o quanto antes, do que me preocupar com picuinhas políticas, ou será que eu, na função de prefeito de Goiânia teria que deixar outras pessoas ditarem as regras? Respeito demais o Daniel, mas ele precisa entender que ele não foi eleito, foi o pai dele, e o plano de governo vencedor vai ser cumprido em respeito a Maguito Vilela e a população goianiense.” 

PSD diz que MDB se envolveu “em triste disputa por cargos”

Por meio de um comunicado oficial assinado pelo presidente estadual Vilmar Rocha, o Partido Social Democrático (PSD) lamentou a crise político-administrativa decorrente da demissão coletiva de 21 cargos de primeiro escalão na prefeitura de Goiânia. De acordo com a sigla, “seus filiados e seu quadro de parlamentares nas esferas municipal, estadual e federal externa sua preocupação” com o futuro de Goiânia.

O partido define a debandada do MDB da gestão do prefeito Rogério Cruz como “triste disputa de cargo e de poder pelo poder”. Ainda ressaltou que Vanderlan Cardoso, quando disputou as eleições ao lado de Maguito Vilela, alertou para “uma suposta fraude no processo eleitoral”. Para o PSD, a sigla foi mal interpretada na ocasião.

Leia a nota na íntegra:

O Partido Social Democrático (PSD) – Goiás vem a público lamentar o momento vivido pela cidade de Goiânia, que enfrenta crise político-administrativa com a demissão coletiva de 14 secretários ligados ao MDB, ocorrida nesta segunda-feira, 5 de abril.

O PSD, seus filiados e seu quadro de parlamentares nas esferas municipal, estadual e federal, externa sua preocupação com a cidade de Goiânia e seu futuro. Há muito o que fazer na administração da capital goiana e o tempo dos gestores deveria estar sendo usado para esse fim, mas, infelizmente, o que se assiste é uma triste disputa de cargos e de poder pelo poder.

É preciso garantir o funcionamento da gestão das mais de 154 unidades de saúde, 381 unidades educacionais, da limpeza e manutenção das ruas, praças e prédios, da segurança, mas, principalmente, da geração de emprego e renda para os goianienses, para vencer esta crise econômica, a continuidade das obras paralisadas, sobretudo o BRT e asfaltamento e recapeamento da malha asfáltica nos bairros. Mais que isso! É preciso garantir a vacinação contra Covid-19 de todos os goianienses.

Vale lembrar que durante a campanha eleitoral de 2020, em que o então candidato senador Vanderlan Cardoso disputou a cadeira da Prefeitura de Goiânia com Maguito Vilela, o partido tentou alertar para uma suposta fraude no processo eleitoral. O candidato oficial se achava inconsciente, vítima de coronavírus e o candidato a vice, hoje prefeito Rogério Cruz, foi retirado de cena para não debater a cidade. Infelizmente, naquela ocasião, o partido foi mal interpretado quando tentou alertar a população sobre o que está acontecendo agora.

Novamente Goiânia fica em segundo plano para dar lugar à disputa de cargos entre partidos que deveriam estar cuidando dos problemas da cidade. O PSD não se furtará em ajudar a cidade contribuindo com ideias, sugestões e apontando soluções, mas também não vai abrir mão de fiscalizar a gestão e suas ações administrativas em prol dos goianienses.

Goiânia merece mais!

VILMAR ROCHA
PRESIDENTE ESTADUAL DO PSD EM GOIÁS

Nota do presidente estadual do PSD Vilmar Rocha lembra que, na campanha, Vanderlan denunciou fraude eleitoral

Compartilhe este post: