D6Goiás

Reviravolta: 37 prefeitos que foram oposição ao DEM vão agora apoiar reeleição de Caiado

A pouco mais de um ano das eleições, o governador Ronaldo Caiado (DEM) já atraiu pelo menos 37 prefeitos em municípios onde o Democratas lançou chapas adversárias no pleito de 2020. Em algumas dessas cidades, o apoio de Caiado ao prefeito vitorioso veio antes mesmo do dia da votação. Em outros casos, a aproximação vem ocorrendo ao longo de 2021, inclusive com a filiação de alguns gestores ao partido do governador.

Em Goiás, o Democratas foi o partido que mais elegeu prefeitos em 2020. Exatamente 62 filiados ao partido do governador saíram vitoriosos nas eleições municipais. Desde então, a legenda tem ganhado adesão de prefeitos.

Entre eles, ex-tucanos como Hermano de Carvalho, de Aruanã, e Carlos Alberto Andrade, o Carlão da Fox, de Goianira. O último inclusive contou com o apoio do governador para se eleger presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM).

Prefeitos que seguem filiados às suas siglas de origem e que enfrentaram o Democratas na eleição municipal em 2020 têm sinalizado apoio e aproximação a Caiado, com vistas a 2022. É o caso, principalmente, de gestores filiados ao MDB, Progressistas e Republicanos, que estão na mira do governador para se tornarem companheiros de chapa na eleição do ano que vem. Por esse motivo, inclusive, não há investidas para filiação desses prefeitos ao DEM.

Para aliados, esse movimento tem sido natural e parte mais dos prefeitos do que do governador, apesar de Caiado ter intensificado a agenda pelos municípios, com reuniões em regiões específicas do Estado. Há, no entanto, um freio na filiação no caso de gestores que estão em partidos da base ou em siglas que são pretensas aliadas em 2022.

No caso do MDB, por exemplo, está na mesa de discussão uma possível aliança do presidente regional da sigla, Daniel Vilela, com o governador. Com isso, prefeitos que já são considerados aliados de Caiado trabalham para que a sigla feche o apoio à reeleição do democrata. Prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró é um deles. Ele diz que está empenhado para que essa aliança se concretize em 2022.

“Caiado tem feito um bom governo, nos ajudou muito na pandemia e tenho certeza que os outros prefeitos também reconhecem isso”, afirmou ao jornal O Popular. Pábio enfrentou Elvis Santos (Solidariedade), que tinha o DEM na coligação, na disputa pela Prefeitura de Valparaíso. Mas na reta final, antes mesmo da votação, o governador fechou apoio ao emedebista, que já despontava nas pesquisas com mais chances de ganhar.

Há duas semanas, um grupo de prefeitos do MDB entregou a Daniel Vilela uma carta em defesa da aliança da sigla com o DEM na eleição majoritária de 2022. O documento foi assinado por 27 dos 28 prefeitos do partido em Goiás. Apenas Gustavo Mendanha, prefeito de Aparecida, não assinou.

Com o Progressistas, a relação era de aliança na época do pleito de 2020. Entretanto, o governador rompeu com o presidente estadual da sigla, Alexandre Baldy, depois que ele cobrou de Caiado, em entrevista ao O Popular, uma posição pública de apoio ao então candidato à presidência da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL). O racha culminou com a demissão do irmão do líder pepista e então secretário de Estado da Cultura, Adriano Baldy, que foi exonerado no dia em que a entrevista foi publicada. O atrito, porém, nos bastidores, já emite sinais de superação de ambos os lados.

Mesmo que fossem aliados em 2020, em alguns municípios o DEM compôs chapa oposta. É o caso de Vianápolis, onde Samuel Cotrim (PP) foi eleito em detrimento da candidatura de Edinaldo Moreira (DEM). Recentemente, porém, na reunião do governador com os prefeitos da região da Estrada de Ferro, o pepista se referiu a Caiado como um grande municipalista. Ele também agradeceu ao democrata por programas como o Goiás em Movimento.

Também do Progressistas, a prefeita de São Miguel do Araguaia, Azaíde Donizetti, enfrentou Jadir Lopes (DEM) no pleito municipal, mas afirma que Caiado é seu candidato a governador no ano que vem. O Republicanos é outro partido que está na mira do governador para alianças em 2022. O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, que é filiado à sigla, é tido como uma das principais peças de articulação para que esse apoio se concretize. Cruz, em 2020, era candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Maguito Vilela (MDB), contra o senador Vanderlan Cardoso (PSD), apoiado por Caiado.

Já na posse do republicano, Caiado sinalizava a caminhada aliada ao gestor da capital. Recentemente, inclusive, durante solenidade de transferência simbólica dos poderes para Campinas, Cruz fez um balanço dos primeiros seis meses de gestão e creditou parte das conquistas à parceria com o governador. “Um gestor republicano que tem dado atenção ao povo goianiense.”

 

PSDB e PL sofrem sangria desatada nos municípios

Enquanto poupa partidos da base e pretensos aliados para 2022, o Democratas tem investido com tudo em novas filiações advindas das demais siglas. É o caso do PSDB, principal partido de oposição a Caiado, que já perdeu pelo menos quatro prefeitos neste ano. Outro que está na mira é o PL, da deputada federal Magda Mofatto.

Um exemplo: de São Domingos, o prefeito Cleiton Martins trocou o PL pelo DEM. Outro: o mesmo fez José Antônio, de Guarinos. Ambos estavam em chapas opostas ao DEM em 2020. Há ainda chances da prefeita de São João D’Aliança, Débora Domingues (PL), migrar para o DEM. Ela diz que está tomando a decisão com cautela porque quer fazer “o que for bom para o município.”

“Estamos esperando a hora certa e se o município topa essa mudança. Mas o governador, inclusive, me chamou para assumir o DEM Mulher em Goiás. Isso, porém, não tira meu apoio à deputada Magda, que nos ajuda”, explica Domingues.

Em contrapartida, o governo tem focado em ações visando os municípios. Uma delas foi o lançamento do Goiás em Movimento, que consiste em um auxílio do Estado na recuperação de vias municipais. De início, a previsão era de que 100 cidades fossem contempladas na primeira fase, mas pelo menos 200 já devem ser beneficiadas logo de cara.

Desde janeiro último, o governador tem reunido grupos de prefeitos, nas cidades que visita, para discutir as parcerias administrativas e, na oportunidade, espontaneamente, os gestores municipais hipotecam apoio ao novo mandato do democrata. Um dado curioso: prefeitos da oposição – PSDB, MDB, PSD, Republicanos, Patriota e Progressistas – também se manifestam a favor da reeleição de Caiado, independente dos posicionamentos das direções estaduais. Justificam que Caiado tem sido “aliado” dos municípios, discute prioridades de obras e não exige filiação de quem quer que seja. (H.L.)

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:D6