AparecidaD2

Se depender de Aparecida, MDB e PSDB estarão aliados em 2022

Uma comitiva de 18 lideranças municipais do PSDB, lideradas pelo deputado estadual Talles Barreto, que também é do partido – foi candidato a prefeito de Goiânia, recebendo 0,94% dos votos ou menos de 6 mil –, absorveu o tempo do prefeito Gustavo Mendanha na manhã da última quinta-feira, 20.

Mendanha parou de trabalhar para uma sessão de discursos e elogios mútuos com os visitantes. Foi mais um dos momentos que passaram a acontecer com frequência nas últimas semanas, com o prefeito, em horário de expediente, se dedicando a atividades políticas e eleitorais.

Depois da reunião, que durou mais de duas horas, Mendanha ainda pegou o grupo e o levou de ônibus para uma volta pelas ruas de Aparecida, supostamente para mostrar as suas obras na cidade. Na verdade, o passeio foi só até o bairro Parque das Nações, onde foram exibidas as máquinas que estão começando a trabalhar na pavimentação das ruas.

Entre 60 e 80 bairros de Aparecida continuam na lama e na poeira, apesar das promessas de Mendanha, nas campanhas do 1º e do 2º mandato, de que todos seriam asfaltados. Na Vila Oliveira, de um mês para cá, em ritmo lento, também foram iniciadas obras de pavimentação – na verdade, reiniciadas, já que há quase um ano, em julho de 2020, no início do período eleitoral, também foram levadas patrolas e caminhões para lá e logo após retirados, sem dar andamento ao serviço.

A presença da comitiva tucana em Aparecida foi interpretada como um sinal da aproximação entre Mendanha e o PSDB, que está sendo trabalhada com o apoio do ex-governador Marconi Perillo para formar uma frente contra a reeleição do governador Ronaldo Caiado. O presidente do MDB, Daniel Vilela, rejeita a ideia de uma aliança com o partido. Na semana que passou, em uma live com o jornalista Pablo Kossa no YouTube, ele voltou a dizer que, sim, os emedebistas avaliam composições para as eleições de 2022, mas jamais com o PSDB, “legenda com a qual não temos nenhuma identidade e diante da qual sempre fomos oposição”, disse ele textualmente.

No entanto, segundo a colunista Tainá Borela, do blog Mais Goiás, “apesar de o presidente do MDB, Daniel Vilela, afirmar que não existe possibilidade do partido caminhar com o PSDB, Gustavo Mendanha tem mantido diálogo com a sigla”.

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Aparecida