Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Se surgir uma oportunidade, Mendanha atropela Daniel Vilela de olho em 2022

Prefeito de Aparecida não esconde o sonho de ser candidato a governador e age 24 horas por dia para afastar o MDB de Caiado

Helton Lenine

Após ser reeleito com 95,8% dos votos válidos ano passado, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha e seus assessores mais chegados acham que ele está “pronto” para dar um salto na sua carreira política e disputar o governo de Goiás nas eleições de 2022.

A começar pelo pai, o ex-deputado estadual Léo Mendanha, hoje internado em estado grave no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, acometido por um ataque de Covid-19 que demorou a ser identificado e comprometeu seus pulmões: Léo, da eleição de 2020 para cá, passou a falar dia e noite na candidatura do filho ao Palácio das Esmeraldas. 

Mas, para alcançar esse objetivo, o prefeito de Aparecida precisa suplantar a liderança de Daniel Vilela, presidente estadual do MDB, nome natural da legenda para uma eventual disputa ao governo na eleição do ano que vem. Se não quiser ser candidato, Danielzim tem a alternativa de uma vantajosa composição com o governador Ronaldo Caiado. Uma das hipóteses seria a sua figuração na chapa da reeleição como candidato a vice, o que o levaria fatalmente a ser o nome com mais possibilidades daí a 4 anos, no pleito de 2026.

No início do ano, já empossado em seu segundo mandato, Gustavo Mendanha começou a executar uma agenda de audiências com prefeitos e ex-prefeitos de diversos partidos para “mostrar” suas realizações em Aparecida e apresentar-se como alternativa ao pleito do ano que vem. Os visitantes eram levados a conhecer o Centro Tecnológico de Aparecida, a espetaculosa sala repleta de telas para monitoramento das principais ruas da cidade, principal peça do marketing da “cidade inteligente” propagandeada pelo prefeito e seus seguidores.

Um contratempo surgiu: desde fevereiro, as visitas das lideranças municipais ao gabinete de Mendanha na Cidade Administrativa tiveram que ser suspensas, em razão do agravamento da pandemia da Covid-19 e da contaminação de familiares do prefeito e dele próprio. 

Superando esse momento delicado, a expectativa é de que os contatos de Mendanha com prefeitos e ex-prefeitos para discutir as eleições de 2022 sejam retomados a partir de julho. Ele tem na gaveta um projeto de lei, a ser enviado à Câmara Municipal, autorizando Aparecida a enviar máquinas pesadas para auxiliar na manutenção de estradas e outras necessidades em outros municípios – obviamente com o objetivo de angariar simpatias e angariar apoio de prefeitos. 

Compartilhe este post: