Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Secult reabre espaços culturais

Museus, bibliotecas e Arquivo Histórico da Secult já estão com as portas abertas ao público. A iniciativa integra o programa Retomada Cultural do Governo de Goiás, que visa a apoiar a classe artística por meio de diversas ações. Nesta primeira fase da reabertura, todos os atendimentos devem ser previamente agendados via telefone ou e-mail. Por medida de segurança e para evitar aglomerações, a capacidade de visitação aos espaços expositivos dos museus está limitada a grupos de no máximo 6 pessoas.

O uso de máscara segue obrigatório para servidores, visitantes e pesquisadores dos museus, bibliotecas e Arquivo Histórico. Os acervos das bibliotecas Pio Vargas, Biblioteca Braille José Álvares de Azevedo e Gibiteca Jorge Braga permanecem fechados ao público, e a escolha das obras é realizada junto aos atendentes. A permanência nas bibliotecas é permita, exclusivamente, para a retirada e a devolução de material. Não sendo permitido o uso de mesas de estudos.

Os livros devolvidos pelo público passarão por uma quarentena e ficarão isolados por um período de 14 dias após o ato da devolução. A pesquisa no Arquivo Histórico Estadual é mediada pelos atendentes. O mesmo vale para a pesquisa realizada nos espaços museológicos. A comunicação dos acervos e das ações desenvolvidas nesses espaços continuam sendo realizadas via redes sociais (Instagram e Youtube).

O secretário estadual de Cultura, César Moura, ressalta que a reabertura é um passo importante para a Retomada Cultural. “Depois de mais de um ano fechadas, nossas unidades retornam o atendimento ao público, com todos os protocolos de segurança, para proporcionar ao goiano o contato com sua cultura. Convidamos a população para conhecer o excelente acervo de nossas bibliotecas e de nossos museus, que preservam com excelência a história do povo goiano”.

Literatura no Marietta

As bibliotecas Pio Vargas, Braile José Álvares de Azevedo e Gibiteca Jorge Braga estão localizadas no Centro Cultural Marietta Telles, localizado na Praça Cívica, ao lado do Palácio das Esmeraldas. O Marieta Telles é um espaço de incentivo literário e descobertas culturais. Juntas, essas bibliotecas somam um acervo com mais de 100 mil exemplares.

Biblioteca Estadual Pio Vargas

Fundada em 28 de junho de 1967, a Biblioteca Estadual Pio Vargas tem muita história para contar. Ela já funcionou na Avenida Goiás e no Edifício Parthenon Center, até que, em 1989, foi instalada definitivamente no Centro Cultural Marieta Telles.

A biblioteca guarda desde relíquias literárias a repositórios atualizados sobre todas as áreas do conhecimento. No geral são 70 mil obras nacionais e internacionais, com destaque para os 10 mil livros de autores goianos e 4 mil periódicos relacionados ao Estado de Goiás.

Entre os tesouros da biblioteca, estão obras dos escritores goianos José Mendonça Teles, Bariani Ortêncio, Miguel Jorge, Cora Coralina e Marieta Telles. “Aqui temos uma cultura de valor inestimável que deve ser reconhecida, consumida e valorizada principalmente pelos goianos”, destaca a bibliotecária Helenir Machado.

Helenir conta que a biblioteca recebe muitos estudantes, atraídos pela qualidade do material didático presente nas estantes da Pio Vargas.  “Os livros não vão ser substituídos pelas telas. A leitura no papel ainda tem grande importância. O contato pessoal com o livro é gratificante”, ressalta a bibliotecária.

Gibiteca Jorge Braga

“Um mundo encantado onde a criança começa a paixão pelos livros” é como a bibliotecária Helenir Machado define a Gibiteca Jorge Braga, pioneira do gênero em Goiás. O local leva o nome de um dos maiores cartunistas do país e figura emblemática entre os goianos. Jorge Braga publicou a primeira revista em quadrinhos do Estado, chamada Badião x Goianinho, e foi ele quem idealizou a Gibiteca, inaugurada em 1994.

A Gibiteca guarda cerca de 6 mil exemplares de gibis e literatura infantojuvenil, com exemplares raros e coleções completas de  mangás. O local possui um cantinho da leitura com puffs, brinquedos, desenhos para colorir e jogos de tabuleiro. A decoração com personagens famosos da Turma da Mônica e Super Heróis deixa o espaço ainda mais lúdico, despertando a criatividade e o gosto pela leitura em todos que passam por lá.

Antes da pandemia, o projeto Gibiteca Itinerante levava a escolas da periferia de Goiânia e de municípios vizinhos gibis para que as crianças e adolescentes carentes tivessem acesso à cultura dos quadrinhos. A importância sociocultural do espaço também está no projeto Pirlimpimpim, que começou em 1998, com objetivo de  receber, uma vez por semana,  alunos do pré ao 2º grau.

Biblioteca Braille José Álvares de Azevedo

Resultado da luta dos deficientes visuais do Estado de Goiás pelo acesso à informação, a biblioteca foi criada em 1988 no Centro de Apoio ao Deficiente Visual e instalada em 1992 no Centro Cultural Marieta Teles, onde funciona atualmente.

Voltada ao atendimento específico da população com deficiência visual em Goiás, a biblioteca conta hoje com um enorme e diversificado acervo que vai desde livros didáticos a obras da literatura adulta e infantojuvenil nacional, internacional e goiana. Ao todo, o espaço conta com cerca de 3 mil títulos em formato braille; mil títulos em áudio e 30 mil livros no formato digital.

A biblioteca conta com local para leitura, onde os visitantes podem consultar os títulos em braille e em áudio. Além disso, para auxiliar aqueles que preferem realizar a leitura no local, a Braille José Álvares de Azevedo conta com um telecentro formado por microcomputadores com leitores de tela destinados ao uso de pessoas com deficiência visual.

Por meio de contatos por telefone, e-mail ou via redes sociais oficiais, também é possível acessar todo o material da Braille em PDF on-line.  Considerada a única do Centro-Oeste com este nível de organização, a Biblioteca Braille José Álvares de Azevedo tem como principal função dar oportunidade às pessoas com deficiência visual do Estado de Goiás e auxiliar na promoção da universalização do acesso ao conhecimento.

Confira o horário de funcionamento e o contato para agendamento de cada unidade cultural da Secult/Goiás 

Museu da Imagem e do Som de Goiás

Terça-feira a Sexta-feira | Das 8h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-4625 | mis.cultura@goias.gov.br

Museu Pedro Ludovico

Terça-feira a Sexta-feira | Das 9h às 17h

Finais de semana e feriados: das 9h às 14h

Contatos para agendamento: 62 3201-4678 | museupedroludovico@goias.gov.br

Museu Goiano Professor Zoroastro Artiaga 

Terça-feira a Sexta-feira | Das 9h às 17h

Finais de semana e feriados: das 9h às 13h

Contatos para agendamento: 62 3201-4675 | Museuzoroastro.cultura@goias.gov.br

Museu Ferroviário de Pires do Rio

Terça-feira a Sexta-feira | Das 8h às 11h e das 13h às 17h

Contatos para agendamento: 64 3461-5504 | mfpr@goias.gov.br

Biblioteca Braille José Álvares de Azevedo

Segunda-feira a Sexta-feira | Das 8h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-4648 | bibliotecabraille@goias.gov.br

Biblioteca Pio Vargas

Segunda-feira a Sexta-feira | Das 8h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-4653 | bibliotecapiovargas.cultura@goias.gov.br

Gibiteca Jorge Braga

Segunda-feira a Sexta-feira | Das 8h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-4640 | gibitecajorgebraga.cultura@goias.gov.br

Arquivo Histórico

Segunda-feira à Sexta-feira | Das 9h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-4656| AHEG@goias.gov.br

Vila Cultural Cora Coralina

Segunda à segunda | Das 9h às 17h

Contatos para agendamento: 62 3201-9863| vilacultural.coracoralina@goias.gov.br

Centro Cultural Octo Marques

Segunda a sexta |   Das 8h às 17h

Contato para agendamento:  62 3201-4610 | ccom@goias.gov.br

Fonte: Secretaria de Cultura (Secult)- Governo de Goiás

Compartilhe este post: