Domingo, 25 de Julho de 2021
25 de Julho de 2021
Publicidade

Talles Barreto elogia projeto do governo direcionado ao segmento empresarial

Durante sessão para aprovação do ProGoiás, o deputado da oposição reconheceu o importante papel da secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt, na articulação com os empresários e na criação do projeto em convergência com as necessidades do setor

Da Redação

“Eu tenho que reconhecer o papel importante da secretária Schimidt [secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt], que está hoje à frente da Secretaria da Economia, que teve o papel de reconhecer a necessidade da criação do ProGoiás”, declarou o deputado Talles Barreto (PSDB), durante sessão na Assembleia Legislativa, na tarde desta quarta-feira (20/05), um dia depois que a Casa aprovou em segunda votação o ProGoiás.

O projeto do governo, que deve ser sancionado nos próximos dias pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), visa a atração de investimentos e a desburocratização da política pública de incentivos fiscais no Estado.

O deputado, que é da oposição, se desculpou pelas críticas ao projeto e afirmou que o segmento empresarial aprovou a proposta. Dirigindo-se ao presidente da Casa, deputado Lissauer Vieira (PSB), que atuou na intermediação entre empresários e governo, Barreto avaliou que o ProGoiás vai ser um bom incentivo às empresas goianas. “Eu tenho certeza que o ProGoiás ainda vai ser um bom incentivo em relação às empresas. Pelo que eu entendi, várias empresas vão fazer sim a migração do Produzir e Fomentar para o ProGoiás. O segmento falou que ficou interessante o que foi apresentado pela secretária da Economia com a ajuda de vossa excelência”, parabenizou.

Apresentado inicialmente em dezembro de 2019, o ProGoiás foi adiado para que fosse feita uma avaliação mais aprofundada, atendendo às reivindicações do setor empresarial, e, após várias reuniões com representantes do segmento, foi elaborado um modelo acordado. De acordo com o deputado Lissauer Vieira, o projeto deve destravar e desburocratizar as questões da economia do Estado, principalmente para grandes empresas e para indústrias que querem investir em Goiás.

Para a secretária Cristiane Schmidt, o ProGoiás foi construído em clima de convergência e diálogo e atende às expectativas dos empresários goianos. “O que queremos é o empresário investindo no Estado de Goiás, gerando empregos e renda para a população”, pontuou.

O novo programa vai substituir o Fomentar e o Produzir, com validade até 2032, na modalidade de incentivo fiscal tradicional, ou seja, um programa de crédito outorgado, sem financiamento. Ela explica que o o programa é mais benéfico que os anteriores e os empresários se manifestaram a favor da migração. “Queremos um programa menos burocrático. No caso do Produzir e Fomentar, o empresário demora, em média, 12 meses e, em alguns casos, até dois anos para fruir esse investimento. No ProGoiás, a ideia é agilizar esse processo, sem dor de cabeça no momento da adesão, com segurança jurídica”, justificou a secretária, durante apresentação do projeto aos empresários.

Compartilhe este post: